Ventos fortes destelham barracas e quiosques na orla de Porto Seguro, no sul da Bahia

0
159

Barracas ficaram destelhadas nem Porto Seguro, no sul da Bahia, após ventos fortes e chuvas atingirem a orla da cidade, na madrugada desta sexta-feira (23). Segundo informações da Defesa Civil do município, o estrago foi provocado por um redemoinho que se formou no mar e chegou até a costa.

A situação aconteceu na área da Praça do Relógio, onde ficam as barracas e quiosques. Muitos estabelecimentos perderam telhas e algumas estruturas de cobertura chegaram a cair parcialmente. Cadeiras e mesas foram arrastadas pelo vento.

A ventania também acabou atingindo um supermercado da cidade e a quadra do Colégio Paulo Souto, que fica no bairro Baianão. Ninguém ficou ferido, apenas danos materiais foram registrados.

Os locais atingidos foram isolados pela Defesa Civil e equipes de trânsito e limpeza da prefeitura, além da Companhia de Eletricidade da Bahia (Coelba), foram acionados.

O superintendente da Defesa Civil de Porto Seguro, Paulo Souto, informou que o vento não tem relação com o ciclone previsto para ocorrer no Espírito Santo, neste final de semana, mas que pode se aproximar do sul da Bahia.

A meteorologista Cláudia Valéria, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), assim como superintendente, ressaltou que a ventania na cidade não tem relação com o ciclone subtropical previsto para a costa do Espírito Santo.

Segundo ela, “ventos costeiros” ocorreram em Porto Seguro e, nessa época do ano, ocorrerem com maior frequência e mais intensidade.

Ciclone subtropical

Estão previstos dias de chuva e ventos fortes do norte do Rio De Janeiro até o sul da Bahia, passando por parte de Minas Gerais e todo o estado do Espírito Santo. Isso porque há a formação de um sistema de baixa pressão atmosférica na costa capixaba que pode dar origem a um novo ciclone subtropical, de acordo com a Marinha.

A formação do ciclone deve acontecer no domingo (25), mas durante todo o processo de formação há a organização de nuvens carregadas que já devem provocar temporais a partir desta sexta-feira (23).

A agência Climatempo indica que, até a segunda-feira (26), os acumulados de chuva cheguem aos 100 mm em algumas cidades, o que pode acarretar em alagamentos e inundações.

A pior condição do tempo fica para o litoral do Espírito Santo, que deve ter, além do maior volume de chuva, as maiores rajadas de vento, que podem alcançar os 80km/h. Por conta da pista de ventos formada, há previsão de ressaca no mar.

Um ciclone subtropical não precisa de uma frente fria para se formar, mas também não tem um centro de baixa pressão tão intenso quanto de um ciclone tropical. Se confirmado, esse será o décimo sistema catalogado pela Marinha do Brasil, esse ano, e deve ter o nome de Mani.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here