Prestes a visitar o Camboriú, Bahia ainda não ganhou fora do estado em 2023

0
70

Por um lado, um time classificado em primeiro lugar no Campeonato Baiano com tranquilidade. Por outro, praticamente eliminado da Copa do Nordeste com duas rodadas de antecedência, após uma partida ruim no clássico Ba-Vi de domingo (5). É assim que o Bahia volta as atenções para a Copa do Brasil, torneio no qual enfrentará o Camboriú nesta quarta-feira (8), às 19h, pela segunda fase.

Depois de uma estreia animadora, com 4×1 sobre o Jacuipense em Pituaçu, o Esquadrão entrará em campo mais uma vez na condição de visitante, só que agora de fato, pois o jogo será em Balneário Camboriú, Santa Catarina. É aí que mora o perigo: o Bahia ainda não somou qualquer ponto – nem fez gol – nos confrontos disputados em outros estados.

Este ano, foram nove partidas longe da Arena Fonte Nova, com cinco vitórias e quatro derrotas. Todos os jogos que o tricolor ganhou como visitante aconteceram na Bahia: contra Jacuipense (1×0), Barcelona de Ilhéus (2×1), Doce Mel (1×0, com time reserva), Atlético de Alagoinhas (2×1), além do próprio triunfo com o Jacuipense na primeira fase da Copa do Brasil.

Quando precisou atuar em outros lugares, o time foi reprovado: levou 1×0 do Sampaio Corrêa no estádio Castelão, em São Luís, e foi goleado pelo Sport por 6×0 na Ilha do Retiro, em Recife. Também perdeu como visitante para o Jacobinense (1×0) e para o Itabuna (4×0, com equipe reserva) – estes dois na Bahia, respectivamente em Feira de Santana e em Camacan.

Nesta quarta, será preciso acabar com esse jejum. Afinal, o duelo contra o Camboriú será em jogo único. O que muda em comparação com a primeira fase é que agora não há vantagem do empate para a equipe visitante. Em caso de igualdade, a vaga para a terceira fase da Copa do Brasil será definida em disputa nos pênaltis.

Os testes mais duros do ano também ligam o alerta. Faltando 40 dias para o início da Série A, o Bahia tem mostrado dificuldade contra equipes mais próximas do seu patamar atual no Campeonato Brasileiro. As derrotas para Sport (26º lugar no ranking da CBF) e Sampaio Corrêa (32º), ambos da segunda divisão, mostram isso.

Outra derrota impactante aconteceu em plena Fonte Nova, no 3×0 para o Fortaleza. Aliás, este foi o único adversário em 2023 que também está na elite do futebol nacional. O time cearense, inclusive, aparece à frente do Esquadrão no ranking da CBF: em 7º, enquanto o Bahia é o 15º.

No mesmo estádio, o Bahia chegou a ganhar do Vitória (29º) por 1×0 no primeiro clássico do ano, pelo Baianão. E, pelo Nordestão, veio o empate em 1×1 no último fim de semana.

Todos os outros triunfos em 2023 foram em cima de equipes em posições bem inferiores no ranking da CBF e que disputam a Série D ou nem isso: Juazeirense (57º), Jacuipense (67º), Bahia de Feira (80º), Atlético de Alagoinhas (85º), Barcelona de Ilhéus (sem posição) e Doce Mel (sem posição).

O time também soma na temporada um empate com o Ferroviário (54º) e derrotas para Jacobinense (sem posição) e Itabuna (sem posição).

Apesar de um início de ano preocupante, o técnico Renato Paiva minimizou. Ele projeta um futuro mais tranquilo com a chegada de reforços. “Quando chegarmos ao início do Brasileiro, certamente vão estar aqui uns três ou quatro ou cinco jogadores experientes. O nível vai subir”, disse após o Ba-Vi.

 

Materia: Correio da Bahia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here